Você está aqui: Home / CBLBH – História

CBLBH – História

A modalidade Luta de Braço teve a sua primeira inclusão oficial como pratica esportiva na Confederação Brasileira de Culturismo em 1977, entidade que administrava 3 modalidades: Fisioculturismo, Levantamento Básico de Potencia e a Luta de Braço, onde foi administrada por esta entidade até 1987, partindo deste ano surgiu um movimento para que cada uma destas 3 modalidades criasse sua própria entidade de administração, esta tentativa era necessária pois uma entidade eclética como a do Culturismo tinha muitas dificuldades em administrar e ter recursos para 3 modalidades distintas.

Foi então, que neste ano foi fundado a Federação Paulista de Luta de Braço ( Primeira Federação de Luta de Braço ), fundada em 1987 na cidade de Campinas por iniciativa do Sr. Nivaldo F. Cerqueira, Lazaro Washington de Oliveira, Sr. Humberto Panzetti e Paulo Rogério de Oliveira Sabioni, Federação esta que coordenou a modalidade até 1994 e somente em 27 de agosto de 1994 foi fundada a Confederação Brasileira de Luta de Braço ( C.B.L.B. ), graças a lei “Zico”. A C.B.L.B. foi fundada na cidade de Indaiatuba pelos senhores Humberto Panzetti, Nivaldo Felix Cerqueira, Paulo Rogério O. Sabioni, Lázaro Washington de Oliveira e Gilberto Felix de Cerqueira, grupo este que formou a primeira diretoria da C.B.L.B.

Com a criação desta entidade a Luta de Braço Brasileira tornou-se forte no cenário internacional tendo vários de seus membros em cargos de expressão na W.A.F (WORLD ARMWRESTLING FEDERATION ), atualmente o Sr. Humberto Panzetti é o presidente da W.A.F entidade que agrega 117 países. A C.B.L.B. é a única responsável pela Luta de Braço no território nacional, estando filiada a ela os estados: Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins. Estando em processo de legalização os estados de Espírito Santo e Ceara. Sendo desta forma esta modalidade vem conseguindo resultados rápidos ampliando o número de participantes e de federações.

Atualmente temos cerca de 17 mil filiados em todo o país conseguindo assim aumentar em muito a sua popularidade, a última das fronteiras a ser conquistada é fazer desta modalidade um esporte olímpico e para-olímpico, para isso os mais de 117 países filiados a W.A.F vem trabalhando para que esse sonho um dia vire realidade.

A Confederação Brasileira de Luta de Braço e Halterofilismo teve seu primeiro estatuto aprovado em Assembléia Geral e devidamente registrado em cartório em sua Fundação realizada em 27 de Agosto de 1994, no gozo de seus direitos estabelecidos pelo Artigo 217°, da Constituição Federal, dentro das normas estabelecidas pela Lei n° 8.672 de 06 de Julho de 1993 “Lei Zico” seguindo rigorosamente os dispositivos contidos na aludida Lei. No dia 4 de Setembro de 1.998 atendendo os Dispositivos Constitucionais da Ordem Social Sessão III – do Desporto Artigo 217° bem como ao disposto pela Lei n° 9.615 de 24 de março de 1998 “Lei Pele” devidamente regulamentada pelo decreto n° 2.574 de 29 de Abril de 1998, que institui normas gerais sobre o Desporto a Confederação Brasileira de Luta de Braço e Halterofilismo teve em Assembléia Geral e devidamente registrado em cartorio a reformulação de seu estatuto para adequar a lei acima mencionada e aos 17 de Dezembro de 2004 para adequar as exigências pelos artigos 40 a 61 da Lei n° 10.406 de 10 de Janeiro de 2002, com as prerrogativas do artigo 217° e da Lei n° 9.615 de 24 de Março de 1998 a Confederação Brasileira de Luta de Braço e Halterofilismo teve seu estatuto alterado pela Assembléia Geral e devidamente registrado em cartorio, estatuto este se mantem em vigor cumprindo todas as exigências formais da Lei.

Os comentários estão fechados.